terça-feira, 11 de outubro de 2011

11/10/2011 - Ainda não te disse nada - Sugestão de Trilha-Sonora

Tenho respondido algumas entrevistas e, vez ou outra, me perguntam sobre a relação entre ser músico e escritor. Sobre as triilhas-sonoras que permeiam o processo de escrita. Pensando nisso, vou colocar aqui, aos poucos, a trilha-sonora do novo livro.

No O Mundo de Vidro, faço muita referência musical. Lá, as canções que embalaram a escrita (e que cito no livro) são, dentre outras: Have You Ever Seen The Rain, do CCR; Champagne Supernova, do Oasis; O Teatro dos Vampiros, da Legião; Balada do Amor Inabalável, do Skank; Por Você, do Maskavo; Não Vá Embora, da Marisa Monte, etc.

O Ainda não te disse nada tem várias citações de canções também, como  a trilha-sonora de um filme cujo roteiro é a história que conto. E pra dar um pouco do gosto do que virá, colocarei aqui, aos poucos, as canções que escutei pra escrever e que são citadas no livro. Espero que curtam!

Trecho 1:

 (...)

Ao sair da água, mole, exausta e satisfeita, colocou calcinha e blusa, selecionou em seu Ipod uma playlist de baladas da Indiana Nomma.
(...)
Então, abriu os olhos e, calmamente, passou a colocar os traços no papel, subir e descer o grafite, delinear sombras, profundidade, para imprimir a luz e a paixão necessários. 
Veio um choque nas costas da mão. Ela cerrou os dentes e continuou. Outro choque, mais forte. Ela não parou. A mão começou a tremer, e ela não se deu por vencida. A dor começou a subir pelo braço, uma lágrima escorreu.   
A canção dizia: “Só peço que o destino seja bom e reserve a mim seu beijo. Não deixo que o silêncio acalme a vontade de te ter no meu mundo imperfeito...”.











Trecho 2:

(...)
O trajeto entre o Charles de Gaulle e o flat deixou-a extasiada. O som do carro tocava uma sequência de canções da ZAZ.

(...) Je Veux d'l'amour, d'la joie, de la bonne humeur,
c'n'est pas votre argent qui f'ra mon bonheur, moi
j'veux crever la main sur le c?ur allons ensemble, découvrir ma liberte (...)

“Eu quero o amor, a alegria, o bom humor... botar a mão no peito... descobrir minha liberdade”.



Trecho 3:

(...)

Desligaram e ela foi tomar um banho. Não conseguia tirar da cabeça o tema da Habanera. Antes de deitar, procurou na internet a tradução da ária e encontrou:

(...) O amor é um pássaro rebelde que ninguém pode prender,
Não adianta chamá-lo, pois só vem quando quer.
Não adiantam ameaças ou súplicas. Um fala bem, o outro se cala.
É o outro que prefiro. Não disse nada, mas agrada-me.
O amor, o amor...



Trecho 4:

(...)

Postou junto um vídeo que trazia a canção “O Anjo Mais Velho”, do Teatro Mágico:

“(...) metade de mim agora é assim, de um lado a poesia, o verbo, a saudade; do outro, a luta, força e coragem pra chegar no fim (...)”



Trecho 5:

(...)

Chorou durante o voo quase todo. No Ipod, Adele cantou um lamento:  
“Ao estar contigo, eu poderia ficar. Fecho meus olhos, sinto você aqui pra sempre. Você e eu juntos, nada é melhor. Mas há um lado de você que eu nunca conheci, nunca conheci. Tudo o que você diria nunca seria verdade, nunca é...”.



Trecho 6:

 (...)


Satisfeita com a criação, deixou-a sobre a prancheta, apoiada na parede. Queria olhar com calma e ter certeza de ser a escolha correta. Já passava das duas da manhã e o cansaço bateu muito fundo. Dormiu de roupa mesmo, caída sobre a cama. A canção que embalou seu sono foi um lamento: “Se quiser um pouco de mim, deve me esperar e caminhar a passo lento, muito lento. E pouco a pouco esquecer o tempo e sua velocidade. Frear o ritmo, ir muito lento...”.



E aqui, a canção que inspirou o nome do livro:

 (...)

Gostaria de terminar estas palavras com o trecho de uma das canções que mais gosto, do Pedro, cantor, nascido aqui no Porto. Peço que Lourenço cante para mim todas as vezes que vem cá: “Largo a espera e sigo o sul. Perco a quimera, meu anjo azul. Fica forte, sê amada, Quero que saibas que ainda não te disse nada. Pede-me a paz, dou-te o mundo”...










7 comentários:

  1. Adorei as músicas. Boas escolhas pra trilha.
    Vou ficar aguardando as próximas.

    ResponderExcluir
  2. O Teatro Mágico é belíssimo, mas magia mesmo eu sinto ao ouvir Paralamas. Parabéns pelas canções, são realmente lindonas.

    ResponderExcluir
  3. Gostei das escolhas de musica. Principalmente a do Teatro mágico, que eu adoro.

    ResponderExcluir
  4. Oláa! Hum, vamos a opinião sobre as musicas...
    Vídeo trecho 1: adoreii, adoro Paralamas!! Do trecho 2, Zaz- Je Veux, não conhecia, adoreiiiii conhecer.Adorei a música do quarto vídeo, muitooo boaaaaaaa, adoreii a música!!!

    ResponderExcluir
  5. Pois é, Fernanda.
    A "O Anjo mais Velho" é realmente uma canção muito boa. Acho a letra instigante, a melodia é bonita demais. É uma canção diferente, assim como é o show da banda, bem circence e divertido.

    Cada canção eu relaciono como se fose a trilha. Por exemplo, a música da ZAZ acontece num momento em que o livro está em Paris... :)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. chorei com set fire to the rain, também =x

    ResponderExcluir
  7. Ah, essa canção é linda. O trecho que há no livro tem tudo a ver com o que acontece no momento. Você vai adorar!
    Beijão.

    ResponderExcluir