terça-feira, 3 de janeiro de 2012

03/01/2012 - Entrevista para o blog "Reading Books and More"

Dei esta entrevista para o Blog  "Reading Books and More", da minha amiga Mayara, há um tempo já, mas a correria e o final de ano impediram que eu postasse aqui. Agora, como o ano começou de verdade, vou atualizar tudo o que saiu e tem saído sobre meus trabalhos.

Agradeço a todos os que abrem espaço para mim e para tantos autores nacionais legais e que estão fazendo trabalhos bons, honestos e cheios de vida.

Para ler a entrevista completa, é só clicar aqui  .

17 de dezembro de 2011

Entrevista: Maurício Gomyde

Olá pessoinhas. Estou trazendo hoje uma entrevista muito gostosa com o autor Maurício Gomyde, autor de O Mundo de Vidro (resenhado aqui) e Ainda Não Te Disse Nada (resenhado aqui). Ele é super atencioso, fofo, e as respostas são ótimas! Espero que gostem ;)

RB&M: Como foi o processo de você descobrir que gosta de escrever?
Maurício:
Acho que foi uma coisa gradativa. Não daquele tipo "acordei com vontade de escrever"...rs. Tive uma formação escolar que incentivava os alunos a escreverem histórias, redações, contos, etc. Acho isso fundamental, para formar bons escritores e bons leitores. Não somos ainda um país de leitores, e isso deve começar na escola e em casa.

RB&M: Quando começou esse gosto?

Maurício:
Acho que começou com a leitura mesmo. O incentivo em casa para que lesse sempre existiu. Como disse, o exemplo em casa tem que existir. Os pais que lêem e que demonstram a seus filhos o gosto pela leitura estão contribuindo para fazer florescer, ali, talvez um escritor. Lembro-me de ganhar de um tio, aos seis anos, o "Viagens de Gulliver". Achei o livro pesado (literalmente falando...rsrsrs) e demorei um ano pra ler. Mas foi ali que tudo começou. Daí para tentar escrever profissionalmente foi um processo, uma evolução. Só digo que a recompensa é enorme.

RB&M: Você sempre tinha o costume de escrever para você antes de publicar o primeiro livro?

Maurício:
Eu sou músico, e compus muitas canções antes de enveredar pelo lado da literatura. Isso me ajudou muito, porque eu tinha que pensar histórias para cantar. Claro que a história de um livro é mais aprofundada, você tem que ir no sentimento da personagem, enquanto que a canção retrata uma situação apenas. Talvez a canção se compare ao conto, e não a um romance. Mas foi um aprendizado legal. Tanto que eu coloco bastante música nos meus livros.

RB&M: Como surgiu a idéia do primeiro livro?
Maurício: 
Eu adoro as comédias-românticas do cinema. Então, eu queria contar uma. A premissa é simples, que é "homem se apaixona perdidamente por mulher e faz de tudo para conquistá-la". E tentei contar de uma forma bem-humorada, com situações cotidianas e absurdas. Depois foi sentar e deixar a imaginação voar, lembrar das minhas situações e de situações que aconteceram com amigos meus. rsrs

RB&M: E como surgiu a do segundo livro?
Maurício:
 Eu queria contar uma história sob a ótica feminina. Digo, escrever como mulher. Foi um desafio legal, e a história de amor "impossível", entre um velho e uma jovem, foi o mote. Acho que ficou bem legal a ideia e muita gente vai curtir.

RB&M: Qual o seu processo de criação?
Maurício: 
O primeiro livro não foi planejado. Eu sentei e escrevi. Hoje sei da importância de se planejar, de saber de onde vem e pra onde vai a história. Pensar nas personagens, em como elas são, o que vestem, como pensam. Meu livro novo já está planejado e estou começando a escrever. Espero que a linha escolhida seja boa...rs.

RB&M: Da onde você tira a inspiração nas suas histórias?
Maurício: 
Sempre das situações cotidianas. Gosto de pessoas de carne e osso, que sofrem, que amam, que pensam, que choram, que sorriem. As personagens acabam sendo eu mesmo, meus amigos, minhas amigas, gente que eu conheço. E daí a imaginação os transforma.

RB&M: Qual seu gênero de literatura predileto?
Maurício: 
Comédia-romântica, sempre. Gosto de humor, do lance do amor impossível e imprevisível. As pessoas não compram livros, compram histórias, compram sentimentos. Por isso eu tento contar situações que todo mundo adoraria viver, mesmo que impossíveis às vezes. Se for para ler coisas reais, já há os jornais diários... rs.

RB&M: Qual dica você dá para pessoas que pensam em se tornar escritor?
Maurício: 
Senta e escreve! Leia bastante, encontre aquilo que te move, feche os olhos, planeje uma história e comece. Muita gente tem medo, ou pensa demais, e nunca começa. A história que você começa nunca é a que você acaba. É da natureza do ser humano contar histórias, então é só começar. O tempo dá cabo de "melhorar" a coisa. rs

Nenhum comentário:

Postar um comentário