quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

11/01/2011 - Entrevista para o blog "Hunters Culture"

Fiz esta entrevista há um tempo, para o blog Hunters Culture , da minha amiga Elana. Como disse, aos poucos postarei todas as entrevistas. Não deixem de visitar o blog e ver as coisas legais que ela anda dizendo por lá.

Para ler a entrevista completa, clique aqui.

Entrevista - Mauricio Gomyde

 Escritor, baterista, compositor. ex-estudante de cinema. 
Autor dos livros "O Mundo de Vidro" e "Ainda Não te Disse Nada".

1 – Você é formado em processamento de dados e já tocou em várias bandas. De onde veio a idéia de entrar no mundo da literatura também?

R: Acho que a atividade literária é complementar e muito afinada com a  música, então foi algo natural. Em relação ao Processamento de Dados, realmente não tem muito a ver...rs. Se bem que, se eu pensar pelo lado da criatividade que o desenvolvimento de sistemas requer, as duas atividades têm, sim, um pouco a ver uma com a outra. Escrever é algo que virou meio que um vício atualmente...rs. Não sei se eu conseguiria largar mais.

2 – Você sempre quis ser escritor?

R: A gente nunca consegue precisar o momento em que virou um desejo. Acho que foi algo gradativo, muito impulsionado pela influência que tive em casa. Meus pais sempre leram muito, e isso é fundamental na formação dos escritores e leitores. Sempre escrevi poesias, contos, redações. Daí para tentar escrever livros foi um processo natural também.

3 – Vamos começar falando do seu primeiro livro O Mundo de Vidro. De onde surgiu a ideia de escrever sobre essa história?

R: Eu queria escrever uma comédia-romântica, que é meu gênero favorito do cinema. Então, nada melhor do que contar um pouco de mim num personagem.  O "Ele" é muito parecido comigo, com as coisas que penso, que digo. Claro que tive que inventar muito também, mas , basicamente, "Ela" é a mulher dos sonhos, aquela que eu sempre quis encontrar.

4 – E o livro Ainda Não te Disse Nada? De onde surgiu a idéia?

R: Interessante, porque um dia eu acordei com essa ideia. Sobre duas pessoas que não se conhecem e começam a se corresponder por carta. Gosto de cartas, ainda as escrevo. Mas tentei dar mais "emoção", colocando a história de amor improvável entre uma linda jovem e  um velho que está num asilo. Quem ler, entenderá. :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário