domingo, 13 de janeiro de 2013

Postagem do ótimo blog "Prazer, me chamo Livro!"

Retransmito, aqui, postagem feita pela Giulia, do blog "Prazer, me chamo Livro!". Abordagem interessante sobre a questão do mercado em relação aos livros e autores nacionais. Vale conferir:



"

Minha opinião: a (des)valorização dos livros nacionais

(Giulia Ladislau - 10/01/2013)

Desde ontem está aquele burburinho nas redes sociais e na blogosfera 
por conta de uma notícia de que a maior editora (pelo menos em relação 
a parceria com blogs) estaria encerrando seu investimento em autores nacionais. 
A notícia saiu e eu ouvi várias pessoas se pronunciarem e resolvi falar o que eu penso.

Sim, eu super apoio a literatura nacional. Já li vários livros de brasileiros
que não ficam devendo em nada aos autores de fora. Acredito que 
haja muito talento “escondido" por aí porque não tem condições de bancar 
a sua publicação – e muito menos quem o banque.
 O Brasil é o país do futebol, do carnaval, do samba... e por que não dos livros?

Em primeiro lugar, há o preconceito. Quantas vezes já ouvi algum
 leitor mal informado falando que não lê nacional porque é ruim. 
Ah, minha gente, por favor! Em um evento, o autor Maurício Gomyde 
(escritor de um dos melhores livros que li) disse uma coisa muito 
certa: nós só temos acesso à literatura estrangeira que já deu certo lá fora. 
Editora nenhuma é louca de investir em algo duvidoso, trazer pra cá 
alguma coisa que foi fracasso anteriormente. Então só aí já rola uma grande 
vantagem dos livros gringos.

Outro fator que perdemos, e MUITO, é em divulgação. Os livros 
estrangeiros tem milhões de anúncios na televisão, no outdoor, na parte 
de trás dos ônibus... na internet e nas livrarias, então, nem se fala! Você vai 
comprar, em loja física ou virtual, e a primeira coisa que vê é um livro 
top de vendas nos EUA, que ficou sei lá quantas mil semanas na lista de mais 
vendidos do The New York Times. Falando nisso, essa é a fonte das revistas 
nacionais pra divulgar os livros do momento. Sendo assim, nunca haverá 
espaço pro autor nacional, certo? Errado!

Aí vem todo aquele papo que mais parece uma ideologia. Vamos apoiar os 
autores nacionais! Boicote à editora! Nunca mais compro livro estrangeiro! 
A partir de agora, só nacional! Também não rola, na boa. Não é com extremismo
 que a gente vai conseguir espaço. E me diz que leitor, apaixonado pela leitura, 
vai abrir mão de ler obras de autores excelentes, como John Green, 
Sophie Kinsella, James Patterson (esses são os meus queridinhos, ok? 
cada um faça sua lista)? Não vou ser hipócrita e dizer que vou deixar 
de ler esses aí porque não vou. Amo a LITERATURA, oriunda do país 
que for. Me interessa mais o conteúdo do que a origem.

Leiam o resto da postagem e muitos comentários 
interessantes em: 



Um comentário:

  1. Oi Mauricio!

    Parabens pela escolha da postagem para divulgacao. Super merecida.

    bjs.

    http://booksandmuchmore.blogspot.com

    ResponderExcluir